Notícias

Será a acupuntura a solução para a dor?

 

A Universidade de Georgetown, em Washington, volta a colocar esta técnica chinesa no centro das atenções.

Será a acupuntura a solução para a dor? Ladan Eshkevari, da Universidade de Georgetown, em Washington, diz que sim. E não só.

No último estudo que conduziu, este médico explica que a popular prática chinesa pode “reduzir o stress, a dor e, potencialmente, a depressão” e que o seu efeito é semelhante ao dos medicamentos ou até mesmo melhor.

“Os benefícios da acupuntura são bem conhecidos entre aqueles que a usam (…) e esta pesquisa demonstra como a acupuntura pode funcionar no corpo humano para reduzir o stress, a dor e, potencialmente, a depressão”, frisou Eshkevari em declarações ao Daily Mail.

Para este estudo, Ladan Eshkevari usou ratos de laboratório e recorreu à técnica de eletroacupuntura, aplicando-a num ponto único do estômago dos ratos testados.

Esta técnica debilitou a atividade do eixo Hipotalâmico-Hipofisário-Adrenal, elo de ligação entre o stress, o sistema imunológico, as emoções e o humor.

Esta debilitação – que também acontece com o uso de determinados fármacos – resultou numa redução da produção da hormona do stress, também associada à sensação de dor e à resposta cerebral a lesões.

 

Fonte: http://www.noticiasaominuto.com/lifestyle/425378/sera-a-acupuntura-a-solucao-para-a-dor

Acesso em 22/07/2015

A acupuntura e seus benefícios nos pets

Atualizado em 28/10/2014

Fernanda Fragata

 

A acupuntura é uma técnica chinesa milenar que proporciona benefícios para a saúde e o bem-estar de muitas pessoas. Com os pets, não é diferente. Por isso, os cães e gatos rapidamente se acostumam com as finas agulhas usadas nesta prática terapêutica, e alguns chegam a cochilar durante as sessões. Isso ocorre devido à produção de substâncias como a serotonina e endorfina, que dão a sensação de conforto e relaxamento.

 

leia mais: http://goo.gl/ecNRxA

Fitoterapia: Brasil libera a venda de plantas medicinais com décadas de uso

Atualizado em 29/07/2014

André Biernath

 

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) autorizou a comercialização de plantas medicinais cuja eficácia na solução de um problema seria garantida por um histórico de utilização superior a 30 anos - o extrato que se encaixa nessa categoria recebe o nome de produto tradicional fitoterápico (PTF). “O intuito da medida também é deixar mais claro se o produto passou pelos testes clínicos de segurança e eficácia ou se foi aprovado por tempo de uso”, diz Ana Cecília Bezerra Carvalho, coordenadora de fitoterápicos da Anvisa. Não será necessária receita para comprar um fármaco da nova classe, já que eles são indicados para doenças menos graves. No entanto, convém consultar o médico. A seguir, veja alguns exemplos de fitos que passaram pelo crivo convencional da ciência e outros que fazem parte do PTF.

Produto tradicional fitoterápico sem receita

Arnica: manchas na pele, hematomas e contusões.

Calêndula: anti-inflamatório e cicatrizante.

Eucalipto: antisséptico de vias aéreas superiores e expectorante.

Alcaçuz: expectorante.

Hamamélis: irritações e coceiras associadas a hemorroidas.

Camomila: antiespasmódico intestinal, anti-inflamatório e indigestão.

Cardo-mariano: protetor do fígado.

Melissa/erva-cidreira: antigases, ansiolítico leve, antiespasmódico.

Guaco: expectorante e broncodilatador.

Maracujá/passiflora: ansiolítico leve.

Boldo/boldo-do-chile: má digestão, distúrbios intestinais.

Sabugueiro: mucolítico, expectorante para gripes e resfriados.

Unha-de-gato: anti-inflamatório.

Garra-do-diabo: dores articulares moderadas.

 

Fonte: http://mdemulher.abril.com.br/saude/reportagem/prevencao-trata/fitoterapia-brasil-libera-venda-plantas-medicinais-791535.shtml

 

Preconceito ou precaução 

Quem fez tatuagem ou aplicou piercing fica um ano impedido de doar sangue. Mas essa medida é realmente necessária?

   

    DIÁRIO DA MANHÃ

    KHAYTE PROFETA

 

A doação de sangue é um ato valoroso incentivado constantemente pelo poder público e por diversas instituições de saúde. As campanhas de doação são intensificadas nos períodos de férias, quando muitos doadores viajam e preferem não ter um dia sequer de indisposição física.

 

Porém nem todas as pessoas podem doar sangue. Além das restrições de idade, peso e condições de saúde, todos os que colocaram piercings ou fizeram tatuagens recentemente ficam temporariamente inaptos. Mas será que isso é realmente necessário?

 

A Portaria nº 1686 do Ministério da Saúde, editada em 20 de setembro de 2002, determinava que "pessoas que se submeteram a acupuntura, tatuagens, maquilagem definitiva e adereços corporais, se realizados ou retocados em intervalo inferior a 12 meses da doação", não podem doar sangue, assim como já constava "homens e/ou mulheres que tenham tido múltiplos parceiros sexuais" e "pessoas que estiveram detidas em uma instituição carcerária ou policial".

 

A Portaria 2.712 – documento editado no final do ano passado que atualmente regula os procedimentos hemoterápicos – é menos abrangente e o sétimo inciso do seu artigo 64 inclui nos grupos de risco apenas quem "tenha feito 'piercing', tatuagem ou maquiagem definitiva", excluindo a acupuntura e os demais adereços (como brincos).

 

 

 

 Fonte: http://www.dm.com.br/texto/185210-preconceito-ou-precaucao

 

Equipamento eletrônico capta efeitos bioenergéticos da acupuntura

Meridianos da acupuntura

 

Pesquisadores da Unicamp (Universidade Estadual de Campinas) obtiveram novas evidências de que aacupuntura combate com eficiência os casos de dor crônica.

Já se sabe que a terapia das agulhas da acupuntura - uma técnica criada há mais de dois mil anos na China - estimula pontos do corpo que ativam áreas cerebrais, trazendo maior irrigação sanguínea e liberando substâncias que ativam áreas específicas ou beneficiam o organismo como um todo.

O tratamento consiste na aplicação de agulhas em determinados pontos do corpo, que se distribuem em especial sobre as linhas chamadas meridianos, reconhecidos pela medicina tradicional chinesa como canais que ligam a superfície do corpo aos órgãos internos, com a função de transportar a energia através do corpo.

Maurício Argenton Sofiato e Vera Lúcia Button monitoraram as alterações decorrentes de processos inflamatórios nos meridianos de 46 pacientes com dor crônica enquanto eles recebiam um tratamento de eletroacupuntura, que inclui a aplicação de uma pequena corrente elétrica às agulhas.

 

  • Estudo mostra mecanismos biológicos dos benefícios da acupuntura

 

Fenômenos bioenergéticos

A acupuntura gerou fenômenos bioenergéticos que puderam ser captados e mensurados de forma segura por um equipamento eletrônico idealizado por Maurício, que empregou a técnica de bombeamento iônico, proposta pelocientista Yoshio Manaka.

Nos anos 1940, durante a Segunda Guerra Mundial, Yoshio Manaka desenvolveu uma técnica para o tratamento da dor de grandes queimaduras sem uso de medicamentos, já que, naquela situação, não havia outra opção.

Manaka chamou a técnica de bombeamento iônico, que consiste em ligar uma área doente a outra área sadia do mesmo paciente com as mesmas características energéticas. Ambas as áreas pertencem ao mesmo meridiano. Com isso, o médico japonês inferia a possibilidade de transportar íons de um lado para o outro, obtendo sucesso no controle dos processos dolorosos.

Segundo Maurício e Vera, a técnica deveria se chamar bombeamento elétrico, já que são elétrons que são conduzidos, e não íons, algo que sua pesquisa demonstrou.

Agora a dupla espera envolver uma equipe multidisciplinar para tentar construir um aparelho em escala industrial que possa ser usado nos consultórios dos acupunturistas.

"A ferramenta é barata e de simples aplicação", garante Maurício. "Desenvolver um aparelho nacional seria muito bom porque poderia aprimorar a qualidade da acupuntura oferecida nos consultórios brasileiros e baratearia o tratamento."

 

 Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=equipamento-eletronico-capta-efeitos-bioenergeticos-acupuntura&id=9831#.U6zKo4euct0.gmail

 

Doutorando da  UFSC  premiado pelo segundo ano

consecutivo em conferência internacional de acupuntura na China

Publicado em 26/06/2014 às 15:55

 

O doutorando do Programa de Pós Graduação em Saúde Coletiva da UFSC, Ari Moré, participou do International Symposium on Acupuncture Research (Simpósio Internacional de Pesquisa em Acupuntura), realizado de 30 de maio a 01 de junho, em Pequim, China. Esta conferência reuniu os principais pesquisadores do mundo na área da acupuntura.

Ari foi convidado para participar como representante do Brasil no painel de discussão “Impacto da Pesquisa em Acupuntura nos Cuidados à Saúde no Século XXI.” Também participaram do painel representantes de outros países, com destaque nessa área, como Cláudia Witt, da Alemanha; Chris Zaslowski, da Austrália; Richard Hammerschlag, dos Estados Unidos; e Zhao Baixiao, da China. Cada representante apresentou a perspectiva da prática e pesquisa da acupuntura em seu país, abordou a forma como ela está inserida no sistema público de saúde e debateu prioridades de pesquisa para a área. O doutorando Ari Moré, em sua palestra, falou sobre os principais marcos da pesquisa em acupuntura no Brasil, seu uso no Sistema Único de Saúde (SUS) e explicou parte do seu projeto de doutorado, que aborda o impacto da inserção da acupuntura na atenção primária à saúde.

Além da palestra no Painel de Discussão, Ari fez uma apresentação oral, recebeu a premiação de melhor trabalho na área de ciência básica, com o tema Specificity of manual acupuncture needling on pain control: What is the difference between BL60, SP6 and a non-acupoint?. Esse trabalho foi desenvolvido em parceria com o Laboratório de Neurobiologia da Dor e Inflamação da UFSC e demonstrou que os pontos de acupuntura tem especificidade na modulação de diferentes sistemas endógenos de controle da dor.

Este foi o segundo ano consecutivo em que um trabalho do Grupo de Pesquisa Translacional em Acupuntura da UFSC é premiado em um congresso internacional. “Fiquei muito contente com a oportunidade de falar sobre a acupuntura brasileira no congresso e surpreso em ganhar o prêmio outra vez este ano, justamente no local onde nasceu a acupuntura. Havia trabalhos muito bons no congresso, mas acho que a originalidade e relevância dos achados do nosso estudo fizeram o avaliadores votarem nele. De forma geral, percebo que o Brasil está crescendo bastante nesta área e acho que aqui na UFSC estamos no caminho certo para evoluir nas pesquisas”, relatou Ari.

Ainda em Pequim, Ari foi convidado a visitar e discutir projetos em colaboração com o Centro de Medicina Baseada em Evidências da Universidade de Medicina Tradicional Chinesa de Pequim; em seguida, viajou para a cidade de Zhengzhou, província de Henan, para participar do 8th Symposium on Evidence-Based Chinese Medicine and Integrative Medicine, onde ministrou a palestra Challenges for Acupuncture Practice: a translational perspective, na qual abordou diferentes formas de promover troca de informações entre os estudos de ciência básica, as pesquisas clínico-epidemiológicas e a prática clínica.

 

Fonte: http://noticias.ufsc.br/2014/06/doutorando-da-ufsc-premiado-pelo-segundo-ano-consecutivo-em-conferencia-internacional-de-acupuntura-na-china/

 

Projeto propõe regulamentação do alvará para acupunturistas

Redação Bonde com Prefeitura de Curitiba

 

Começou a tramitar, nesta terça-feira (27), projeto de lei do vereador Jorge Bernardi (PDT) que regulamenta em Curitiba a liberação de alvará para os profissionais de acupuntura. Segundo a proposição, para receber a autorização de trabalho pelo Município, bastaria ao interessado apresentar diploma de curso superior na área (nacional ou estrangeiro, desde que validado pelo MEC). 

"Existem cerca de 500 profissionais trabalhando com a prática terapêutica da acupuntura em Curitiba, mas alguns alvarás têm sido negados pelo Município por conta de uma interpretação da lei federal 12.842/2013, a 'Lei do Ato Médico'", explica Jorge Bernardi. Segundo o parlamentar, essa norma diz que "são privativas do médico atividades como indicação e execução de intervenção cirúrgica, sedação profunda e procedimentos invasivos como acessos vasculares profundos". 

Contudo, Bernardi diz que a interpretação ao "pé da letra" desse trecho está desconsiderando que a presidente Dilma, ao sancionar a "Lei do Ato Médico", vetou o artigo 4°, onde dizia que a acupuntura seria atividade exclusiva dos médicos. "A presidente entendeu", avalia o parlamentar, "que a Acupuntura não é exclusiva dos médicos porque há 5 mil anos a atividade é praticada na medicina chinesa por terapeutas". "Aliás a medicina tradicional do Ocidente não domina essa ciência oriental, responsável por curas e recuperação que os remédios vendidos por laboratórios não alcançam. Há portanto enormes interesses em jogo", completa 

Regras para alvará 
O projeto de lei prevê que será concedido o alvará para a pessoa que comprovar possuir um diploma de graduação em nível superior em acupuntura, expedido por instituição de ensino oficialmente reconhecida no Brasil, ou em curso superior similar ou equivalente no exterior (com carga horária mínima de 360 horas-aula, após a devida validação e registro nos órgãos competentes). 

A norma também libera o alvará para a pessoa, que mesmo sem essa documentação, ateste o exercício dessa atividade profissional "de forma comprovada e ininterruptamente há pelo menos cinco anos, contando da data de publicação desta lei". Nessa linha de argumentação, Jorge Bernardi defende que a Constituição Federal "deixa claro que um dos fundamentos da República é a proteção dos valores sociais do trabalho e da livre iniciativa". 

Sobre o argumento que a atividade dos acupunturistas não está regulamentada nacionalmente, o vereador cita no projeto de lei a existência do Sindicato dos Profissionais em Acupuntura e Terapias Orientais do Estado Paraná (como entidade de fiscalização) e publicação, em 2006, de uma portaria do Ministério da Saúde incluindo a prática na Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares no Sistema Único de Saúde (SUS). "Podendo ser usada de maneira isolada ou integrada com outros recursos terapêuticos para promoção de saúde, recuperação ou prevenção de doenças", reitera.

 

Fonte: http://www.bonde.com.br/?id_bonde=1-27--225-20140527

Células-tronco e acupuntura reabilitam cães paraplégicos

Por Raquel Sodré

 

A hérnia de disco é um transtorno que atormenta muitas pessoas. Mas a doença também acomete os cães e é uma das causas mais frequentes de paraplegia entre os peludos. Para buscar diminuir os impactos da doença, uma pesquisa realizada no Hospital de Cães e Gatos da Universidade de São Paulo (USP) tem sido bem-sucedida ao aplicar células-tronco e realizar sessões de acupuntura.

Uma compressão ou um impacto na região ventral da medula espinhal pode fazer os cães perderem o movimento das patas traseiras e, em cerca de 90% dos casos, também o controle da bexiga, fazendo com que tenham retenção urinária.

O responsável pela pesquisa da USP é o veterinário César Prado, que faz o estudo como parte de seu mestrado. “Os animais passam por um procedimento cirúrgico para descompressão da medula espinhal, e as células-tronco são aplicadas diretamente na medula. Após uma semana, elas são aplicadas novamente, dessa vez, com uma injeção através da pele, mas também dentro da medula, na região afetada”, explica Prado.

Além disso, todos os animais passam por fisioterapia duas vezes por semana. Para os bichos que recebem acupuntura, são três sessões por semana no início do tratamento, diminuindo para duas e, então, para uma vez por semana. O tratamento completo tem duração de 12 semanas.

Resultados. Com o tratamento, o veterinário pretende obter melhoras neurológicas na condição da medula espinhal ou na liberação de substâncias que estimular a regeneração neurológica.

“A maior parte dos animais ainda está em tratamento, porém já pode ser observado o retorno ou melhora de algum reflexos espinhais, sinais de um provável formigamento em membros, melhora na incontinência urinária e recuperação de sensação dolorosa em algumas regiões da pele”, afirma.

Acupuntura. No Hospital Veterinário da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), a professora Patrícia Maria Coletto Freitas faz aplicações da técnica milenar chinesa nos cães para o tratamento de hérnia de disco e de outras condições.

“Com a acupuntura, temos bons resultados na recuperação dos movimentos de contração da bexiga e de contração e relaxamento do canal urinário. A acupuntura também tem bons resultados nos casos de dor e, este ano, temos usado muito também para questões emocionais”.

Os interessados em tratar seu animal com acupuntura devem fazer o agendamento no Hospital Veterinário da UFMG pelo telefone 3409-2000.

 

        Fonte: http://www.otempo.com.br/interessa/c%C3%A9lulas-tronco-e-acupuntura-reabilitam-c%C3%A3es-parapl%C3%A9gicos-1.850319

 

 

  • facebook-square
  • Twitter Square
  • youtube-square

© 2013  by Diego Galhardo . Web Master - Danilo Gimenes .  Proudly made by Wix.com

Cadastre-se e receba as atualizações do site: